Juntos fazemos o bem!

AEBVB

Mensagem - Agosto/2015

“Deus é Pai dos órfãos e Juiz das viúvas. Ele faz com que o solitário viva em família.” Salmos 68:5

Recebemos no Vale da Benção uma visita especial que nos trouxe alegria e regozijo - o casal Roberto e Vania. Eles residiram e trabalharam conosco por quatro anos e meio. Roberto no departamento financeiro e no Centro Evangelístico como pastor. Vania na área de eventos.

A família composta pelo casal e seus três filhos, Gladston, Pablo e Egleidson, aceitaram o desafio e se prontificaram a ser família de apoio, cuidando de crianças que chegassem ao Vale da Benção. A primeira experiência ocorreu quando receberam sete irmãos retirados da convivência familiar por maus tratos e precisavam de um lar até que a situação da família se estabilizasse. Justamente nesta ocasião foram novamente desafiados a receber um bebê. O casal nos conta o seguinte:

“Era uma menina de quatro meses que vinha de uma situação de abandono por parte de sua mãe e estava internada no hospital recuperando-se. A criança chegou a nossa casa bem desnutrida e desidratada com pneumonia e refluxo. Com quatro meses pesava em torno de dois quilos e quinhentas gramas e não conseguia comer devido ao seu estado de fraqueza. Minha esposa começou a lhe dar água de arroz e depois de algum tempo ela já conseguia digerir outros alimentos e começou a se desenvolver. Aos oito meses de vida já estava pesando em torno de doze quilos. À princípio, pensávamos que cuidaríamos desta criança apenas por um período de tempo. Todavia, sua mãe biológica não tinha condições de cuidar dela e não se sabia quem era o pai. Entramos então com o pedido de adoção. Meus filhos cuidavam dela com muito amor. Era a irmã do coração de cada um deles e de nós como pais. Já tinham passado três anos e seis meses em todo o trâmite da documentação e liberação do juiz para a adoção. Quando a adoção foi autorizada, registramos a nossa filha com o nome de HADASSA CHRISTINA DO AMARAL GOMES. Uma menina muito esperta e inteligente e que não tinha sintomas de alguém que passou por toda aquela situação. Quando chegou a determinada idade a matriculamos na escola. No segundo ano do ensino fundamental, ela estava em um processo de aprendizagem tão avançado que foi transferida no meio do ano letivo, para o terceiro ano, em um processo de aceleração que vigorava na época. A diretora da escola estava terminando o seu curso de Pedagogia e o título da sua tese foi É POSSÍVEL COM AMOR, VENCER AS DIFICULDADES DA DESIDRATRAÇÃO E DESNUTRIÇÃO.

Ao defender a tese esta educadora provou que tudo isso é possível, mesmo quando muitos dizem que uma criança que passa por desnutrição grave tem dificuldades na aprendizagem. Ao contrário do que se esperava, Hadassa sempre foi uma das primeiras alunas. Após os quatro primeiros anos de estudo a transferimos para um colégio particular pois duas amigas da nossa família resolveram investir na sua educação. Neste ínterim, descobrimos que ela tinha aptidões para a arte de cantar e tocar. Este dom teve início no período do Vale da Benção. Ela tinha por volta de um ano de idade e já pegava as baquetas do meu filho mais velho, saía batendo em tudo com ritmo. Quando chegou aos oito anos de idade colocamos para aprender bateria. Logo depois, ela começou a tocar na igreja e dedicou um longo período para aprender música e tocar com partitura e de ouvido. Passou então a dar aula de bateria e ensinou a muitas pessoas na comunidade onde morávamos e até hoje ela é professora de bateria. Toca um pouco de percussão, flauta e violão.

Hadassa hoje está com vinte e dois anos. É uma pessoa extrovertida, amiga e tem um ótimo relacionamento com a família. Está cursando o sétimo período de Terapia Ocupacional na Universidade Federal de Minas Gerais e deve concluir o curso no primeiro semestre do próximo ano. Tem se dedicado a aprimorar-se na música, que é o seu sonho e usá-la na sua profissão.

Enfim, Deus nos deu a graça de cuidar de uma criança que poderia ter morrido e que com toda certeza é benção em nossa família. Louvo sempre a Ele por ter nos dado a graça de sermos hoje pais da Hadassa”.

Esta linda história do encontro da Hadassa com a família de Roberto e Vania, nos faz reconhecer as palavras do Salmista - Deus é Pai dos órfãos e faz com que o solitário viva em família.

Louvado seja Deus por esta família que abriu as portas de sua casa a fim de receber esse bebê tão necessitado. Louvado seja Deus pela recuperação física e emocional da Hadassa. Celebre ao Senhor juntamente conosco por este milagre e continue conosco!

Que o Senhor levante muito mais famílias que possam abençoar crianças e adolescentes solitários.

Continue conosco! Continue com nossas crianças!

 

Débora Fahur

Diretora de Programas Sociais